8 de junho de 2012

Voz e violão


Minha vida anda numa calmaria tão gostosa. Assim, feito uma canção, somente com voz e violão. Uma melodia suave e dançante ao mesmo tempo. Vez ou outra chega um dedilhado agressivo, mas nada que a faça descompassar. Um acompanhamento com piano aqui, um cajón ali, e a música vai ganhando cores e formas, sentimentos e sensações.
Já faz um tempo que não ouço mais as bandas de sempre e o barulho de sempre. Não consigo mais ouvir guitarras ou baterias alucinadas, só um dia ou outro que quero abstrair toda minha raiva e para não descontar em ninguém, desconto nos meus ouvidos, coitados...
Depois disso, volto pro meu violãozinho, minha voz doce e assim a gente volta a dançar e cantar nessa onda de que a vida não tem mais fim.

5 comentários

  1. Desejo todo dia que eu encontre essa paz também.
    Quero poder ter essa inspiração pra escrever, respirar e sentir. É maravilhoso quando isso ocorre, por isso eu te digo Renata, aproveite muito esse momento.

    Beijinhos e ótima semana. xD

    ResponderExcluir
  2. Parabéns pelo blog,simplesmente fantástico o seu post,a sua forma de escrever..a música pode resumir nossas vidas de fato!
    Adorei o seu cantinho.rs
    Se quiser da uma passadinha no meu:
    http://comamoremaiscaro.blogspot.com.br/

    grande beijo.sz

    ResponderExcluir
  3. Estou assim também, sabe. Essa paz que pude perceber através das tuas palavras, me invadiu aqui também faz alguns meses. Aproveitemos pois esses momentos. Desejo que eles durem pra ti e pra mim, e que possam resultar em mais textos belos como esse. Amei teu blog. Te sigo. Um grande beijo.

    http://metade-julieta.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Ah, embora eu saiba que a gente às vezes precise de tranquilidade e calmaria, e também goste do som assim, mais acústico, não abro mão do bom e velho rock'n'roll o/

    ResponderExcluir
  5. Que acorde de violão mais bonito esse da calmaria. Que trilha sonora agradável aos ouvidos, como o barulho das quebras do mar. Como é bom quando a nossa vida se encaixa a uma valsa ou um tango, nada de baterias e acordes desafinados, por favor. Continue assim, porque quando aprendemos o nosso próprio ritmo de vida, não temos porque querermos dançar num metal de bateria desgovernada, que não tem nada a ver conosco. Dance, flutue.

    Um beijo, cuide-se. E te acompanho mais vezes, se quiser, sento ao seu lado e vamos dançar de mãos dadas atirei o pau no gato, como duas crianças sem medo de girar rápido demais e cair. Porque com segurança, não há perigo algum.

    @ferrh_

    ResponderExcluir

me diz o que achou :)

© Pieguices Aleatórias
Maira Gall